quinta-feira, 26 de abril de 2012

Redação pronta – análise de ideias e correção

Olá, pessoal!

Há quatro meses, venho fazendo a análise dos textos do Fernando, leitor do blog que contratou o serviço de correções. Fui autorizada por ele a publicar uma de suas redações analisadas. Acho que vocês vão gostar.
Como a análise está muito grande, postarei apenas parte dela. Os comentários sobre desenvolvimento, conclusão e as considerações finais foram suprimidos para que o artigo não ficasse muito grande e, portanto, pouco didático.

Escolhi um tema sobre o qual já falei neste post aqui (A valorização do corpo humano).

Divirtam-se!



******************************************************************************

                                                        O corpo e a obsessão pela juventude


A ciência conseguiu avanços espantosos na compreensão do corpo humano. Em menos de um século, a expectativa de vida da população quase triplicou. Doenças que antes martirizavam grandes parcelas da população, como a varíola, foram completamente erradicadas. Estudos recentes envolvendo células tronco e os mecanismos dos telômeros cromossômicos sugerem até a possibilidade de se combater o envelhecimento celular. No entanto, esse salto no conhecimento científico e a decorrente valorização do corpo humano acabaram gestando uma supervalorização da saúde e da juventude como valores absolutos. O corpo jovem e erotizado passou a ser um objetivo buscado indistintamente por crianças, adultos, idosos e, até mesmo, por alguns jovens descontentes com a inadequação do seu perfil ao padrão imposto pela sociedade.
A partir desse modelo estabelecido de juventude e de comportamento saudável,estabeleceu-se uma indústria que lucra com essa obsessão e se alimenta dela, lucra e alimenta essa obsessão [L1] promovendo práticas que, muitas vezes, acabam contrariando o próprio objetivo de beleza e saúde a que se propõe proposto. Afinal, não existem benefícios diretos para a saúde nos implantes mamários de silicone. E muitas intervenções estéticas acabam criando rostos deformados e de aparência artificial devido ao abuso das técnicas de rejuvenescimento.
Além disso, o modelo constituído como ideal está completamente  descolado distante 
da realidade, o que acaba gerando um processo de autodepreciação e de repúdio do próprio corpo na grande maioria de indivíduos que não consegue alcançar esse modelo. Não espanta que diversos transtornos psíquicos relacionados à autoimagem, como a anorexia, tenham se tornado tão comuns nos últimos anos.

Assim, é inegável, assim,[L2] que a valorização do corpo e da saúde trazem enormes benefícios para toda a sociedade, no entanto, é preciso que haja uma preocupação em se utilizar os recursos atuais em prol do bem estar e do envelhecer com dignidade no lugar dessa obsessão maníaca pela juventude que presenciamos hoje. Nesse sentido, a curto prazo, seria interessante criar campanhas educativas que apontem apontassem discutam discutissem essa distorção nos valores atuais. A longo prazo, o melhor seria trazer levar essa discussão para dentro da sala de aula, introduzindo o debate em algumas disciplinas da grade curricular padrão, como filosofia, educação física e biologia, por exemplo. Dessa maneira, talvez se consiga fazer com que o corpo seja vivido e pensado como local de vida e prazer e se possa compreender que, como disse Arnaldo Antunes, “a coisa mais moderna que existe nessa vida é envelhecer”.


[L1]Verbos “lucrar” e “alimentar” têm regências diferentes.

 [L2]Prefira deslocar o conectivo para o meio.




Avaliação
Tema: a valorização do corpo

Considerações: Somente analisando-se a frase-tema, considero difícil o desenvolvimento de um bom texto. Isso porque todas as ideias que tendem surgir para a elaboração da dissertação relacionam-se a críticas sobre a supervalorização do corpo. E é certo que a maioria dos candidatos irá por esse caminho de análise. Dessa maneira, é necessário pensar em uma maneira de desenvolver esse assunto surpreendendo o avaliador, a fim de que o texto se destaque dos demais.
A leitura dos textos de apoio apresentados é muito útil para que se abram caminhos de análise. Por exemplo, no primeiro texto motivador, fala-se sobre a “indústria do corpo”; no segundo, sobre a relação entre interior e exterior; no terceiro, por fim, sobre regras necessárias para se garantir a saúde do corpo.

Se antes da leitura dos textos de apoio a tendência era pensar apenas na ideia de padronização da beleza ou nos exageros cometidos para se atingir o corpo perfeito, agora, pode-se pensar de maneira mais ampla, explorando a ideia de saúde como união de corpo e mente, falando sobre todo o dinheiro que essa valorização do corpo movimenta na sociedade etc.

Porém, mesmo com diversificação de ideias sobre o tema, é preciso tomar cuidado para o texto não ficar expositivo, ou seja, um texto em que apenas informações são apresentadas, sem uma defesa de ponto de vista explícita.

Apesar do tema comum, aparentemente simples, é preciso empenho para conseguir o 10 nessa redação.


Projeto de texto identificado

Introdução

Contextualização: desenvolvimento científico/ maior compreensão do corpo humano. Estratégia fotográfica: erradicação de doenças, aumento na expectativa de vida, combate ao envelhecimento.

Tese: o avanço científico como gerador da ideia de supervalorização da saúde e da juventude.

Informação extra, decorrente da tese: corpo jovem e erotizado como objetivo perseguido pela maior parte da população.


Desenvolvimento – em dois parágrafos

D1: modelo de juventude e de comportamento saudável como incentivador de uma indústria, que, de certa forma, estimula uma obsessão pelo corpo perfeito.

D2: o padrão de beleza imposto não corresponde à realidade. Para alcançá-lo, muitos são prejudicados.

Conclusão

Primeiro período: valorizar o corpo e a saúde é muito importante, mas é preciso que esse processo tenha o bem-estar como consequência, e não a obsessão.

Períodos seguintes: propostas de solução a curto e longo prazos.

Finalização: referência a Arnaldo Antunes.



Análise do projeto de texto

Aspectos da introdução

*Sobre a contextualização:

“A ciência conseguiu avanços espantosos na compreensão do corpo humano. Em menos de um século a expectativa de vida da população quase triplicou. Doenças que antes martirizavam grandes parcelas da população, como a varíola, foram completamente erradicadas. Estudos recentes envolvendo células tronco e os mecanismos dos telômeros cromossômicos sugerem até a possibilidade de se combater o envelhecimento celular”.

Muito boa essa contextualização. O trecho cumpriu bem o seu papel, apresentando o assunto de maneira geral e conduzindo o leitor a uma opinião definida acerca do assunto. Como o parágrafo ficou muito grande, ficando desproporcional em relação ao desenvolvimento e à conclusão, esse conteúdo poderia ter sido apresentado de maneira mais sintética.

*Sobre a tese
Consigo claramente identificar a tese da introdução, mas destaco dois pontos importantes sobre ela:

- Falar que o conhecimento científico gerou uma supervalorização da saúde e da juventude ficou inadequado. A sua defesa será relacionada à busca da juventude e não sobre a busca da saúde, até porque, trata-se de aspectos, muitas vezes, opostos, como você afirma no desenvolvimento.

Explicando melhor: na contextualização você falou sobre os benefícios do avanço científico, citando o combate ao envelhecimento e a erradicação de doenças. Para entrar na tese, você usa o conectivo “no entanto”, o que marca o início de uma oposição. É como se você falasse “Apesar dos aspectos positivos, decorrentes do avanço científico, há pontos negativos que também devem ser considerados, como a supervalorização da saúde e a obsessão pela juventude”. E o esquisito foi exatamente essa ideia de que a supervalorização da saúde é negativa. Além dessa ideia não condizer com o que será apresentado em D1 e D2, é estranho entender que a supervalorização da saúde seja ruim.

- Outro ponto importante é que, com a tese apresentada, o texto ficou mais expositivo do que argumentativo. É como se você fosse um jornalista falando, de maneira imparcial, sobre o assunto.

- Considerando esses dois pontos, veja como, com pequenas alterações, os problemas citados podem ser eliminados.


Sua tese:

“No entanto, esse salto no conhecimento científico e a decorrente valorização do corpo humano acabaram gestando uma supervalorização da saúde e da juventude como valores absolutos”.

Sugestão de reescritura:

“No entanto, apesar desse salto no conhecimento científico ter proporcionado uma supervalorização da saúde, o que é benéfico para a sociedade, gerou-se também um processo muitas vezes negativo, de supervalorização do corpo, em que se considera a juventude um valor absoluto”.

Perceba como o trecho em azul acabou com a imparcialidade da sua tese. Agora, há um posicionamento claro – explicitamente contrário à ideia apresentada.

Com o trecho em vermelho, o texto ficou condizente com o que você apresenta no desenvolvimento e combina perfeitamente com o primeiro período da sua conclusão.  Veja:

“Assim, é inegável que a valorização do corpo e da saúde trazem enormes benefícios para toda a sociedade, no entanto, é preciso que haja uma preocupação em se utilizar os recursos atuais em prol do bem estar e do envelhecer com dignidade no lugar dessa obsessão maníaca pela juventude que presenciamos hoje”.

Obs: O primeiro período da conclusão deve ter a mesma ideia da tese.