segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Para não fugir do tema


Na última semana, meus alunos do pré-vestibular fizeram um simulado de redação em que a proposta era:

Violência contra a mulher. Por que esses crimes continuam ocorrendo?

A maior parte dos alunos conseguiu uma boa nota, o que me deixou bastante feliz. Os que não conseguiram pecaram na interpretação do tema, o que, aliás, é um problema bastante comum em provas de redação.

E a fuga parcial ocorreu nos casos em que o candidato falou sobre o assunto e não sobre o tema.

Como assim?

Esclareço por meio de exemplos.

Analisemos os temas a seguir:
Tema 1: De que maneira a violência contra a mulher deve ser combatida pela sociedade?
Tema 2: Que tipos de problemas podem ter as mulheres que já foram vítimas de violência?
Tema 3: Que atitudes as mulheres devem ter para evitar que sejam vítimas de violência?

As três propostas apresentadas são bem diferentes umas das outras. No entanto, qual é o assunto comum a todas elas?
                                    
                                      A violência contra a mulher.

Isso evidencia que não adianta, nesse caso, falar sobre qualquer coisa relacionada à violência contra a mulher, deve-se atentar para a especificidade da proposta. Do contrário, fuga parcial!

Voltando ao simulado... li textos em que o autor passou todo o desenvolvimento falando que os casos de violência têm aumentado, que a mulher vitimada acaba tendo muitos problemas psicológicos, que os filhos que assistem à violência reproduzirão os mesmos atos etc.

O erro é que, com esses argumentos, não se está atendendo à proposta, que era Por que os crimes continuam ocorrendo”.

A palavra de comando nesse tema é o “Por que”. Quando se utiliza o porquê, estão em jogo as CAUSAS, os MOTIVOS do problema. Então, bastava que o autor pensasse em duas ou três causas e a comprovasse.

Eu, por exemplo, acho que os crimes persistem porque:

1.A justiça é falha e, por isso, os agressores não têm medo de punição.
2.Algumas mulheres dependem financeiramente dos maridos e aceitam as agressões porque não têm como sobreviver sozinhas.
3.Apesar de muitos avanços, ainda vivemos em uma cultura machista.

Com esses argumentos, eu não fujo da proposta, pois atendo à especificação do tema – as causas do problema.

Enfim, fique bastante atento às frases de comando. Não adianta fazer um texto maravilhoso e tangenciar o tema.

É isso...