segunda-feira, 13 de julho de 2015

O título é obrigatório na redação? Como criar um bom título?


Oi, pessoal!
Muita gente tem dúvidas sobre a inserção do título na redação, então, resolvi escrever a respeito.

Primeiro ponto importante: o título não é obrigatório na produção textual de concursos e vestibulares, a menos que haja orientação explícita para que você insira um. Já vi muita gente preocupada ao sair de uma prova por ter esquecido de nomear o texto. Isso já aconteceu comigo também, e em um concurso para professor, há alguns anos. Lembro-me de que fiz um bom texto, mas me esqueci de passar o título que estava no rascunho para a folha de redação.  Na época, achei que os avaliadores iriam zerar a minha prova, mas, ao contrário, recebi nota 9,5 e assumi o cargo. 

Em geral, mesmo quando há na prova orientação para inserção do título, a ausência dele não costuma ser motivo para desconto considerável na nota, ainda assim, como sabemos que até 1 décimo pode decidir quem fica com uma vaga, é importante estar atento.

Na realidade, eu considero o título muito importante na produção textual. Não o título burocrático, que é aquele que a pessoa só coloca por ser obrigatório e que nada acrescenta à mensagem. Esse não faz diferença nenhuma. Refiro-me ao bom título. Esse sim pode ser o “tchan” da redação.

Mas o que é, na prática, um bom título?
Você já reparou que os nomes de filmes ou de livros não entregam o que exatamente é a história? Eles despertam nossa atenção, apresentam uma noção sobre o que há no enredo, mas são enigmáticos. Somente assistindo ao filme ou lendo o livro vamos compreendendo o porquê do nome. Assim é um bom título também na produção textual. Quando corrijo redações, gosto de ver um título diferente e ir compreendendo o seu significado conforme vou lendo a produção. Já postei aqui no blog uma redação com título que ilustra bem o que digo. Nesse texto, o leitor só compreende o nome da redação nas últimas linhas da conclusão. Essa técnica é muito legal. Veja aqui esse texto.

E o que é um título ruim?
Há muito a se falar sobre títulos ruins. Vou citar aqueles que vejo com mais frequência.

1. Tema como título – Isso é o que mais acontece, sem sombra de dúvidas. Muitas pessoas confundem tema com o título. Tema é o que a prova oferece, título é o que você faz.

2. Título com “Versus” (X) – Razão x emoção. Vitórias X derrotas.  Trabalho x lazer.
Esse tipo de título não o diferenciará dos demais candidatos. Trata-se de uma forma rápida e pouco criativa de nomear o texto. Evite esse formato.

3. Clichês – títulos com frases prontas e batidas. “Educação – direito de todos”. “Brasileiro não desiste nunca”. “Família é base”.

Eu poderia escrever bastante sobre título, mas acho que o que expus até aqui já pode ajudar bastante. Penso em fazer um vídeo mais detalhado sobre o assunto. O que acham?

Para finalizar essa postagem, apenas ressalto que o título fará diferença em um grupo de redações boas. De nada adianta produzir um bom título se o texto é problemático. Se você ainda não produz redações bem estruturadas, não foque no título agora. Trabalhe para melhorar a produção textual. O título será apenas a cereja do bolo (clichê!!).


Um grande abraço e bons estudos!
Lygia